Cólicas - buscopan

Buscopan é o nome comercial mais conhecido do fármaco butilbrometo de escopolamina, também conhecido como butilescopolamina ou butilbrometo de hioscina.

A escopolamina é uma substância antiespasmódica, isto é, que inibe a contração dos músculos lisos, geralmente de órgãos tubulares. A ação do Buscopan é especialmente eficaz no trato gastrointestinal, motivo pelo qual esse fármaco é muito útil no tratamento das cólicas intestinais.

Neste artigo vamos abordar os seguintes pontos sobre o butilbrometo de escopolamina (Buscopan):

  • Indicações.
  • Nomes comerciais mais famosos.
  • Como tomar.
  • Efeitos colaterais.
  • Contraindicações.
  • Interações medicamentosas.

Atenção: este texto não pretende ser uma bula completa do Buscopan (butilbrometo de escopolamina). Nosso objetivo é ser menos técnico que uma bula e mais útil aos pacientes que procuram informações objetivas e em linguagem adequada ao público leigo.

Para que serve o Buscopan

O butilbrometo de escopolamina é um fármaco anticolinérgico que age inibindo a ação do sistema nervoso central sob músculos lisos, que é um tipo de músculo de contração involuntária presente em diversos órgãos, entre eles os tratos gastrointestinal, urinário e no útero.

Esse bloqueio colinérgico é responsável por inibir a contração de diversos músculos lisos, que, quando ocorre de forma intensa, é responsável por diversos quadros de dor, tais como as cólicas intestinais, uterinas, renal e biliar.

Portanto, o Buscopan é um medicamento que pode ser utilizado para aliviar as dores nas seguintes condições:

Obs1: a escopolamina age inibindo as cólicas, a sua ação é exclusiva no controle da dor. Ela não age na origem do problema. O Buscopan, portanto, não trata a causa da infecção urinária, não cura a úlcera péptica nem ajuda a eliminar um cálculo renal ou biliar.

Obs2: em muitas das situações citadas acima, o Buscopan não é a melhor opção para alivio da dor. Por isso, ele costuma ser usado em conjunto com anti-inflamatórios ou opioides.

Devido à sua ação anticolinérgica, a escopolamina também age inibindo as secreções das glândulas salivares, sudoríparas e nasais. Geralmente, essa ação é responsável por parte dos efeitos adversos do Buscopan, porém, em determinadas situações, esse efeito pode ser benéfico, como são os casos da rinite aguda e dos pacientes com Doença de Parkinson que têm produção excessiva de suor ou saliva (a escopolamina também ajuda a aliviar um pouco os tremores).

Leia:

– RINITE ALÉRGICA – Sintomas, Causas e Tratamento
– DOENÇA DE PARKINSON – Sintomas, Causas e Tratamento.

Nomes comerciais mais famosos da escopolamina

O butilbrometo de escopolamina pode ser encontrado nas farmácias sob a sua forma genérica ou através dos seus vários nomes comerciais.

Como já referido, o nome comercial mais famoso da escopolamina é o Buscopan, medicamento produzido pelo laboratório Boehringer e que é considerado o medicamento de referência para a substância butilescopolamina.

Além do Buscopan, existe também o Buscopan Composto, que é a composição da escopolamina com a dipirona (leia: Dipirona – Indicações, Efeitos Colaterais e Perigos).

Os outros nomes comerciais da escopolamina são:

  • Algexin.
  • Atrocolic.
  • Belscopan.
  • Buscoveran Composto.
  • Butilbrometo De Escopolamina.
  • Hiospan.
  • Neocopan Composto.
  • Uni Hioscin.

Como tomar o Buscopan

O Buscopan pode ser encontrada nas farmácias em drágeas de 10 mg ou em solução oral (gotas) 10 mg/ml.

O início do seu efeito costuma ser perceptível com cerca de 20 minutos.

1) Posologia do Buscopan em gotas:

20 gotas de Buscopan equivale a 1 ml de solução e a 10 mg de escopolamina.

As doses habitualmente recomendadas são:
− Adultos e crianças acima de 6 anos: 20 a 40 gotas (10-20 mg), 3 a 5 vezes ao dia.
− Crianças entre 1 e 6 anos: 10 a 20 gotas (5-10 mg), 3 vezes ao dia.
− Lactentes: 10 gotas (5 mg), 3 vezes ao dia.

2) Posologia do Buscopan em drágeas:

As doses habitualmente recomendadas são:

Adultos e crianças acima de 6 anos: 1 a 2 drágeas (10-20 mg), 3 a 5 vezes ao dia.

Efeitos colaterais do Buscopan

A maioria dos possíveis efeitos adversos do Buscopan são incomuns, leves e desaparecem espontaneamente.

Menos de 1% dos pacientes apresenta os seguintes efeitos colaterais:

  • Urticária.
  • Boca seca.
  • Coceira.
  • Taquicardia (coração acelerado).
  • Disidrose (pequenas bolhas nas palmas das mãos e plantas dos pés que coçam).

Menos de 0,1% dos pacientes apresenta retenção urinária.

Contraindicações do Buscopan

O buscopan deve ser evitado para os pacientes com as seguintes condições:

  • Megacólon.
  • Miastenia gravis.
  • Glaucoma de ângulo fechado.
  • Crianças com diarreia aguda ou persistente.
  • História de alergia à escopolamina ou hioscina.
  • Intolerância à frutose.
  • Obstrução urinária.
  • Gravidez.

Não há informações suficientes sobre a presença de Buscopan no leite materno, portanto, como medida de precaução, esse medicamento deve ser evitado durante a amamentação.

Interações medicamentosas do Buscopan

A associação do Buscopan com outros medicamentos que também apresentam ação anticolinérgica pode aumentar o risco de efeitos colaterais. Alguns exemplos estão listados abaixo:

  • Antidepressivos (amitriptilina, imipramina, nortriptilina, mirtazapina, mianserina).
  • Antialérgicos (prometazina, dexclorfeniramina, hidroxizina).
  • Antipsicóticos (clorpromazina, flufenazina, haloperidol).
  • Quinidina.
  • Amantadina.
  • Disopiramida.
  • Ipatrópio.
  • Anticolinérgicos (tiotrópio e ipratrópio e compostos similares à atropina).

Não há evidências de que o Buscopan interfira com a eficácia das pílulas anticoncepcionais.

Compartilhe
Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologia. Títulos reconhecidos pela Faculdade do Porto, Ordem dos Médicos de Portugal e Colégio de Nefrologia Português.